Pais e filhos se reúnem em frente ao CCA Barro Branco 1, em Cidade Tiradentes (zona leste), que foi fechado pela gestão Covas no dia 1º de julho; prefeitura diz que rescindiu contrato com entidade - Rubens Cavallari/Folhapress.
Pais e filhos se reúnem em frente ao CCA Barro Branco 1, em Cidade Tiradentes (zona leste), que foi fechado pela gestão Covas no dia 1º de julho; prefeitura diz que rescindiu contrato com entidade - Rubens Cavallari/Folhapress.

É um crime o que Bruno Covas está fazendo com a Assistência Social em São Paulo. Primeiro ele sucateou o serviço cortando mais de R$ 200 milhões do seu orçamento; depois ele transfere a gestão dos Centros para Crianças e Adolescentes (CCAs) da Assistência Social para a Educação sem transparência, diálogo ou audiências públicas com a população; e, agora, ele corta 1.500 vagas desses Centros.

Contra os cortes, que impactarão 39 CCAs, o vereador Celso Giannazi formalizou denúncia na Comissão da Criança e do Adolescente da Câmara Municipal. “É criminosa a ação de Bruno Covas com a Assistência Social. Ele corta de um serviço essencial para a população mais carente da cidade”, reafirmou Giannazi.

O vereador Giannazi, que é membro da Comissão da Criança e do Adolescente da Câmara, recebeu diversas denúncias de pais e mães de crianças que utilizavam o CCA Barro Branco I, uma das unidades fechadas. Giannazi conversou com as famílias afetadas por mais esse ataque de Bruno Covas e irá acionar o Ministério Público e a Defensoria Pública contra essa medida que viola direitos e priva mais de 300 crianças do acesso à Educação, Cultura e Lazer.

A Prefeitura anunciou que o cortes das vagas nos CCAs da cidade de São Paulo será reduzido a partir de 1º outubro, conforme comunicado emitido nesta quinta (22) pela Prefeitura aos gestores das unidades.

Os CCAs tem como proposta oferecer proteção social à criança e adolescente, em situação de vulnerabilidade e risco, por meio do desenvolvimento de suas potencialidades, bem como favorecer aquisições para a conquista da autonomia, protagonismo e cidadania, mediante o fortalecimento de vínculos familiares e comunitários.