O vereador denunciou a negligência de Bruno Covas que mantinha a unidade parcialmente desativada mesmo o hospital tendo capacidade para abrigar novos leitos. Foto: SECOM.
O vereador denunciou a negligência de Bruno Covas que mantinha a unidade parcialmente desativada mesmo o hospital tendo capacidade para abrigar novos leitos. Foto: SECOM.

Antes do novo coronavírus chegar ao Brasil e atingir o estado de pandemia, a cidade de São Paulo contava com apenas 3.830 leitos de UTI, sendo que destes, apenas 38% do SUS. Frente ao reflexo de décadas de falta de investimentos e precarização das unidades de saúde do município o vereador Celso Giannazi iniciou a campanha #ReabraJá e fez diligências em diversos hospitais fechados da cidade exigindo a reabertura imediata para que fortaleçam o sistema público de saúde no enfrentamento do novo coronavírus.

Apoie nossa luta! Clique aqui e ASSINE o abaixo-assinado da campanha

O Hospital da Cruz Vermelha foi um dos alvos dessa campanha, onde o vereador denunciou a negligência de Bruno Covas que mantinha a unidade parcialmente desativada mesmo o hospital tendo capacidade para abrigar novos leitos.

Na ocasião, Giannazi também oficiou o prefeito Bruno Covas e a Secretaria Municipal de Saúde exigindo o restabelecimento da unidade. Depois de tal pressão, a Prefeitura reabriu os 54 leitos que estavam desativados, sendo 20 e UTI, 30 de apoio, além de uma sala de estabilização e três de admissão de pacientes.

A medida que a pandemia vai avançando no município, serão necessa´rios cada vez mais leitos. Por isso, a luta continua pela reabertura dos hospitais Sorocabana, Santa Cecília, São Leopoldo, Santa Marta e Evaldo Foz. Giannazi, como membro da Comissão de Saúde da Câmara Municipal segue exigindo a abertura dessas unidades e criou abaixo-assinado e a campanha “Reabre Já! Cada Banco Adota Um Hospital”.