Os retrocessos impostos pelo desgoverno de Jair Bolsonaro atingem e condenam o país como um todo. A Saúde, serviço vital para os brasileiros e brasileiras, é uma das principais vítimas de Bolsonaro, que não poupa a população de violações de direitos e das consequências em 8 meses de ataques.

“Bolsonaro já deixou evidente que vai governar contra os direitos da população. Atacar a Educação e a Saúde é condenar o futuro do nosso país. A mobilização é vital para resistirmos. Todos às ruas no dia 13 de agosto para estremecermos o governo em mais um Tsunami!”, convocou o vereador Celso Giannazi, membro titular da Comissão de Saúde da Câmara Municipal de São Paulo.

Os riscos são tão severos que 6 ex-ministros da Saúde (Alexandre Padilha, Arthur Chioro, Humberto Costa, José Saraiva Felipe, José Agenor Alvarez da Silva e José Gomes Temporão) deixaram divergências de lado para se oporem à política destrutiva de Bolsonaro. Nesta segunda-feira (05), os ex-ministros divulgaram um manifesto em que alertam para os impactos da destruição de políticas públicas pelo governo atual, não só na Saúde como em todas as outras áreas. 

O documento escancara retrocessos como as restrições de políticas voltadas para direitos sexuais e reprodutivos; as modificações nas leis de trânsito e as mudanças no estatuto do desarmamento. Condenam, ainda, a liberação absurda de cerca de 300 agrotóxicos apenas neste ano, os ataques ao Sistema Unificado de Saúde (SUS) e ao Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), além dos cortes generalizados que atingiram principalmente a Educação Pública e o futuro do país.

Não podemos esquecer que Bolsonaro ampliou os cortes no orçamento da Saúde, extinguiu e desmontou de conselhos, pesquisas, programas e campanhas de Saúde. Além disso, Bolsonaro suspendeu em julho a produção de 19 medicamentos de distribuição gratuita, condenando os 30 milhões de brasileiros e brasileiras ao desabastecimento generalizado com o corte de remédios contra diabetes, câncer, parkinson e imunização contra sarampo, rubéola, caxumba e catapora.