Contra a violência diária e o machismo, mulheres deixam seu recado em Brasília.
Contra a violência diária e o machismo, mulheres deixam seu recado em Brasília.

Neste 8 de março, Dia Internacional das Mulheres, as mulheres ocupam as ruas do Brasil contra o machismo, a violência e toda forma de opressão. As ruas de todo o país começam a ser tomadas por mulheres na luta por direitos negados historicamente. Direitos básicos, como a própria vida. A cada duas horas, uma mulher é assassinada no Brasil, totalizando quase 5 mil mortes por ano, frutos do feminicídio.

Entre as homenageadas, elas destacam a luta para punir os matadores de Marielle Franco, vereadora do Rio de Janeiro pelo Psol, que foi assassinada no dia 14 de março de 2018. Os mandantes do crime e a relação do assassinato com milícias cariocas ainda têm tons nebulosos.

Em São Paulo, mulheres se concentram na Av. Paulista a partir das 14h. No Rio de Janeiro, a mobilização é às 17h, na Candelária. Ao todo, 23 estados e DF realizam atos.

Acompanhe um resumo da luta pelo Brasil:

Belo Horizonte (MG), ato saí da Ocupação Pátria livre em direção ao centro da cidade.

Belo Horizonte. Foto Joana Tavares

Contra a violência diária e o machismo, mulheres deixam seu recado em Brasília.

Foto: Vanessa Nicolav.

Palmas, em Tocantins, as mulheres de diversas organizações, movimentos sociais e partidos saíram em luta por direitos, democracia e justiça por Marielle.

Foto: Coletivo de Comunicação

Em São Vicente, litoral de São Paulo, as mulheres também tomaram as ruas na manhã deste domingo.

Divulgação.

A luta também tomou conta das ruas de Belém, no Pará.

Vanuza Cardoso, liderança quilombola da comunidade do Abacatal, em Ananindeua, região metropolitana de Belém, no Pará.

Em Paris, as mulheres estão em luta.

Foto: Thibault Camus/AP

Desde o dia 7 de março, as mulheres gritam ‘justiça’ na Cidade do México.

Foto: Rebecca Blackwell/AP

Também no dia 7 de março, as mulheres de Lausanne, na Suíça, também estão em luta.

Foto: Fabrice Coffrini/ AFP