| , , , ,
Fila de emprego em São Paulo, no Vale do Anhangabaú.
Fila de emprego em São Paulo, no Vale do Anhangabaú.

Resultado da crise, número de de brasileiros desempregados há mais de 2 anos avançou de 17,4% em 2015 para 24,8% em 2019, atingindo 3,3 milhões de pessoas.

Em 4 anos o crescimento é de 42,4%, segundo análise do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a partir da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad), do IBGE, divulgada nesta terça-feira (18).

A taxa de desemprego no Brasil ficou em 12,5% no trimestre encerrado em abril, atingindo 13,2 milhões de pessoas. 5,2 milhões de desempregados procuram trabalho há mais de 1 ano, aponta IBGE

Pior para as mulheres e jovens

O estudo alerta que as mulheres são fortemente atingidas. Entre as desocupadas, 28,8% estão nessa condição há pelo menos dois anos, contra 20,3% dos homens desempregados na mesma situação – embora o crescimento tenha sido maior entre o público masculino.

Quando aplicamos o recorte por idade, 27,3% dos desocupados com mais de 40 anos insistem sem sucesso na busca por trabalho há pelo menos dois anos, mas o crescimento do desemprego de longo prazo é maior entre os jovens. As regiões Norte e Nordeste são as mais afetadas.