Aneel aprova reajuste médio de 7,03% nas tarifas da Enel em São Paulo.
Aneel aprova reajuste médio de 7,03% nas tarifas da Enel em São Paulo.

O peso da energia elétrica no orçamento dos brasileiros na capital e em 23 cidades da região metropolitana de São Paulo vai aumentar. Para as residências, o reajuste médio será de 6,41%; para as indústrias, será de 8,46%.

7,2 milhões de unidades consumidoras serão impactas pelo reajuste.

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou na terça (2) um reajuste médio de 7,03% para as tarifas de energia da Enel São Paulo, antiga Eletropaulo, que atende a capital paulista e outras 23 cidades da região metropolitana.

Os sucessivos aumentos desmascaram, mais uma vez, o discurso tucano de que: “vamos privatizar para melhorar serviço e baratear a oferta”. Sem falar que o aumento da energia se dá em um cenário de forte retração econômica, com o avanço da desindustrialização (queda de 1,8%, segundo dados do IBGE), desemprego brutal (16,1%, segundo IBGE) e desvalorização da cesta de rendimentos do trabalhador.

A Enel informou que as novas tarifas já poderão ser aplicadas a partir desta quinta (4). Veja quais municípios serão afetados:

  • Barueri
  • Cajamar
  • Carapicuíba
  • Cotia
  • Diadema
  • Embu
  • Embu-Guaçu
  • Itapecerica da Serra
  • Itapevi
  • Jandira
  • Juquitiba
  • Mauá
  • Osasco
  • Pirapora do Bom Jesus
  • Ribeirão Pires
  • Rio Grande da Serra
  • Santana de Parnaíba
  • Santo André
  • São Bernardo
  • São Caetano
  • São Lourenço da Serra
  • São Paulo
  • Taboão da Serra
  • Vargem Grande Paulista