O relatório ainda mostra que a carência de estrutura aumentou em quase todos os itens analisados de 2014 para 2018.
O relatório ainda mostra que a carência de estrutura aumentou em quase todos os itens analisados de 2014 para 2018.

Auditoria realizada pelo TCE (Tribunal de Contas do Estado), divulgada nesta terça (6), revela que 32,4% das escolas estaduais de Ensino Fundamental 1 de São Paulo – 1 em cada 3 escolas – não contam com bibliotecas ou salas de leitura. Segundo o relatório, 8 em cada 10 escolas que passaram pela auditoria do Tribunal não contavam com laboratórios de ciências. 

“É a verdadeira ditadura do desmonte. No governo estadual há 24 anos [7 mandatos de governador], o PSDB não só desmantela os serviços públicos, ele lidera um desumano ataque aos direitos dos paulistanos. Os dados que o TCE apresenta são um escândalo”, denuncia o vereador Celso Giannazi.

A vistoria analisou a lotação das turmas, a formação, a rotatividade dos professores e as instalações físicas de 133 escolas do estado. Destas, 34 incluíam anos iniciais (1° ao 5° ano), 105 incluíam anos finais (6° ao 9° ano) e 106, o ensino médio. 

Falta infraestrutura pedagógica

O TCE também denuncia que os alunos do 1° ao 5° ano são os que mais sofrem com a falta de infraestrutura pedagógica na rede estadual. Quatro em cada 10 escolas (38,2%) não têm refeitórios e 94,1%, ou seja, quase todas, não possuem kit de ciências.

Em termos de estrutura pedagógica recomendada, os itens analisados foram: sala de leitura e biblioteca, laboratório de informática, laboratório de ciências, quadra coberta, sala de TV e DVD, banheiro para alunos, refeitório e cozinha.

O relatório ainda mostra que a carência de estrutura aumentou em quase todos os itens analisados de 2014 para 2018. 

Gestão criminosa

O deputado Carlos Giannazi, membro titular da Comissão de Educação na Assembleia Legislativa de São Paulo, classifica como “criminosa a gestão tucana em São Paulo. Essa gestão rasga a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Bibliotecas e salas de leitura são indispensáveis no ensino fundamental para uma escola atingir os objetivos mínimos de ensino”.

Com informações do São Paulo Agora.