| , , , , , , ,
Um dos médicos que assinaram a carta foi demitido. Foto: Leon Rodrigues/Secom
Um dos médicos que assinaram a carta foi demitido. Foto: Leon Rodrigues/Secom

Na reunião da Comissão de Saúde da Câmara desta terça (11), o vereador Giannazi condenou os plantões reduzidos e a falta de profissionais na escala médica do Hospital Municipal e Maternidade Professor Mário Degni, no Rio Pequeno, zona Oeste da cidade. 

A denúncia partiu de uma carta do próprio corpo clínico da maternidade, endereçada ao Ministério Público (MP), ao Conselho Regional de Medicina (Cremesp) e ao Secretário de Saúde, Edson Aparecido. No documento, nove médicos se manifestam indignados com a situação de risco que tanto a população como os profissionais da unidade estão submetidos há meses. 

O Hospital Municipal e Maternidade Professor Mário Degni é referência para mais de 20 UBS e Prontos Socorros da região. A unidade faz, em média, 200 partos e 2.000 atendimentos por mês, alguns de gestantes de alto risco. As condições são tão precárias que não tem nenhum obstetra no plantão noturno das quartas e quintas-feiras, de acordo com reportagem do Agora São Paulo.

O vereador Giannazi exigirá a convocação do secretário para a Comissão de Saúde da Câmara.

Leia também: Em Comissão, Giannazi denuncia sanha privatista de Bruno Covas