Desmatamento em Terras Indígenas sofreu um aumento de 65%
Desmatamento em Terras Indígenas sofreu um aumento de 65%

O meio ambiente continua a sofrer com irresponsabilidade do governo Bolsonaro. De acordo com dados do sistema Prodes (Projeto de Monitoramento do Desmatamento da Floresta Amazônica Brasileira por Satélite), do Instituto Nacional de Pesquisas Avançadas (Inpe), a taxa de desmatamento em Terras Indígenas e em Unidades de Conservação Ambiental superou a média de toda a Amazônia Legal.

O estudo revela uma brutal devastação com o desmatamento de cerca de 10 mil km² no período entre agosto de 2018 e julho de 2019 em comparação com 2018, que apontou desmatamento de cerca de 7540 km². Nas Unidades de Conservação, a destruição saltou de 767 para 1.035 km². Em Terras Indígenas o desmatamento passou de 260,6 para 429,9 km², representando um aumento criminoso de 65%.

“As Terras Indígenas e Unidades de Conservação representam uma grande área de conservação ambiental e preservam a cultura e a identidade dos povos indígenas. O que esse governo quer fazer é acabar com a cultura indígena e aniquilar a maior floresta tropical do mundo”, afirmou o vereador Celso Giannazi.

A derrubada de florestas nessas áreas é ilegal, mas o governo não surpreende e se mostra completamente despreocupado com políticas ambientais e cada vez mais se curvando aos interesses de empresas que estão dominando a região. As Terras Indígenas representam um forte contratempo para o desmatamento, mas por estarem próximas a obras públicas e com o descaso do governo, a situação se tornou crítica para as Terras Indígenas.

Após Bolsonaro assumir o governo o aumento o casos criminosos contra o meio ambiente tornaram-se cada vez mais comuns. O Inpe registrou crescimento do desmatamento na Amazônia de 88% em junho e inacreditáveis 278% em julho. O mesmo órgão também constatou que o número de incêndios no Pantanal do dia 1 de janeiro a 11 de setembro de 2019 cresceu de 1039 para absurdos 4515, número que representa um aumento de 334% em relação ao mesmo período do ano passado. A alta do percentual de incêndios no Pantanal é superior a da Amazônia, que foi de 196%.

Em maio, o governo bloqueou 38,4% do montante reservado para prevenção e controle de incêndios florestais, cerca de 17,5 milhões de reais. Bolsonaro e sua corja estão cada vez mais demonstrando completo despreparo e descaso com o meio ambiente.