Foto: Euzivaldo Queiroz
Foto: Euzivaldo Queiroz

No município de São Paulo, epicentro da Covid-19 com cerca de 23.000 infectados até hoje, é de se indignar que a população siga desamparada pelo poder público. São milhares de brasileiros largados à própria sorte pela gestão Dória/Covas e sem nenhum tipo de recurso para a superação de uma das maiores crises que já assolou o país.

Ao contrário do que tem feito a prefeitura e o governo do Estado, Celso Giannazi vem propondo uma série de projetos de lei de auxílio à população, sobretudo aqueles que não tem recursos para sobreviver à crise do novo coronavírus. Os projetos são voltados à proteção, alimentação, manutenção de serviços básicos e da renda desses trabalhadores em situação de vulnerabilidade.

Ao todo, já são 18 projetos protocolados na Câmara. Confira alguns desses projetos:

Como auxílio aos trabalhadores informais, Giannazi apresentou o PL 214/20 que cria seguro quarentena, e criou o abaixo-assinado pela renda básica emergencial. Além disso, a partir do PL 169/20, o vereador tem lutado para que serviços básicos como luz, água, gás e energia elétrica não sejam cortados nas residências, garantindo a dignidade das famílias durante o isolamento.

Clique aqui para assinar o abaixo-assinado pela renda básica emergencial.

Pensando nas 24 mil pessoas em situação de rua sem condições básicas de isolamento, higiene ou alimentação, Giannazi apresentou o PL 172/20, que propõe a distribuição gratuita de sabonete líquido, álcool gel e demais materiais de higiene pessoal, aliada a abertura de espaços específicos para o acolhimento dessa população. No Ministério Público, o vereador entrou com requerimento para responsabilizar a prefeitura por salvaguardar a vida desses indivíduos.

Representação no MP para salvaguardar a vida de pessoas em situação de rua