O trabalhador não tem esperança do emprego com carteira assinada. Imagem: Reprodução.
O trabalhador não tem esperança do emprego com carteira assinada. Imagem: Reprodução.

Os dados do IBGE não mentem, a taxa de desemprego explode e atinge mais de 13 milhões de brasileiros. Esse dado é ainda pior para os jovens, os negros e as mulheres, parte da população que já é historicamente prejudicada no mercado de trabalho e que, frente a um cenário sem perspectivas de melhora, acaba caindo na informalidade. Além disso, os postos de trabalho, quando não deixam de existir, se tornam temporários ou intermitentes, minando direitos trabalhistas importantes.

Desde que assumiu, Jair Bolsonaro não apresentou medidas claras para combater o desemprego e, quando confrontado com os dados do IBGE além de duvidar dos números apresentados, diz que “não é fácil ser patrão” e que “não pode obrigar ninguém a contratar ninguém”.

“O posicionamento do governo é lamentável. E comprova que Bolsonaro não tem projeto para os milhões de desempregados, muito pelo contrário, ataca os direitos dos trabalhadores de maneira sistemática, seja retirando seu direito à aposentadoria digna, seja arquitetando um verdadeiro desmonte dos serviços públicos”, afirma Celso Giannazi, a respeito do descaso do governo federal com a questão trabalhista.

Giannazi destaca que seu mandato tem denunciado sistematicamente os ataques aos direitos do trabalhador a nível federal, estadual e municipal. Além disso, persistimos na luta contra a reforma da previdência e em favor da manutenção e ampliação dos serviços públicos. “Só se combate o desemprego com investimento e incentivo, e não passando a mão na cabeça do mercado e dos grandes empresários”, declara o vereador.

Com informações do Portal G1.