o corte na integração do Vale-Transporte obrigou trabalhadores paulistanos a fazer parte do trajeto a pé ou a gastar mais tempo nos coletivos.
o corte na integração do Vale-Transporte obrigou trabalhadores paulistanos a fazer parte do trajeto a pé ou a gastar mais tempo nos coletivos.

A sanha de cortes da gestão Doria/Covas segue e avança mais uma vez contra o Bilhete Único Vale-Transporte (VT). A prefeitura de São Paulo voltou a cortar as integrações gratuitas de três para uma e aumentou a tarifa do modal de R$ 4,30 para R$ 4,57.

Sem aviso, a decisão de Covas prejudica a população mais carente e que mora nas regiões periféricas da cidade. De acordo com o Idec ( Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor), a medida, que afeta para pior a vida de 1,2 milhão de paulistanos, é imposta após Covas já ter cortado 144 linhas de #ônibus e reduzido de 300 veículos da frota da cidade.

Gestão Covas cortará 144 linhas ônibus a partir de 1º de agosto

O vereador Giannazi condenou a postura da Prefeitura. “Covas luta na Justiça para aumentar o valor e diminuir a integração do Vale-Transporte do dia para a noite, o que só demonstra o descaso de Covas com a população paulistana, sobretudo com quem mais precisa. Bruno Covas comprova seu total descomprometimento com os impactos econômicos da medida no dia-a-dia dos cidadãos e das cidadãs”, avaliou o parlamentar.

Giannazi é autor do Projeto de Decreto Legislativo 15/2019 que suspende de maneira imediata Decreto nº 58.639 que mudou as regras do Bilhete Único e está prejudicando a vida dos paulistanos.

Por decisão do presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro João Otávio de Noronha, a liminar que impedia o corte da integração e o aumento da tarifa foi cassada no último dia 12. Noronha acatou o argumento da gestão Covas de que a liminar causava risco econômico ao poder público.

Assim, desde a zero hora de ontem (segunda,19), os usuários do VT só podem fazer uma integração gratuita e pagam R$ 4,57 na tarifa.

O vereador Giannazi condenou a postura da Prefeitura.“Aumentar o valor e diminuir a integração do Vale-Transporte do dia para a noite demonstra o descaso de Covas com a população paulistana, sobretudo com quem mais precisa. Bruno Covas comprova seu total descomprometimento com os impactos econômicos da medida no dia a dia dos cidadãos e das cidadãs”, avaliou o parlamentar.