o corte na integração do Vale-Transporte obrigou trabalhadores paulistanos a fazer parte do trajeto a pé ou a gastar mais tempo nos coletivos.
o corte na integração do Vale-Transporte obrigou trabalhadores paulistanos a fazer parte do trajeto a pé ou a gastar mais tempo nos coletivos.

Pesquisa realizada pelo Ibope em parceria com a Rede Nossa São Paulo mostra que 69% dos paulistanos foram prejudicados com os cortes das integrações e o aumento da tarifa no Bilhete Único Vale-Transporte impostos por Bruno Covas com o Decreto Nº 58.639.

Gestão Covas cortará 144 linhas ônibus a partir de 1º de agosto

Os cortes no Bilhete Único e o aumento da passagem se somam aos cortes de linhas de ônibus e a redução da frota que hoje circula na cidade. Esses fatores, além de piorar a vida de quem utiliza o serviço, amplia lotação e a demora para a locomoção na cidade.

Desde a publicação do Decreto, o vereador Celso Giannazi tem lutado para reverter os cortes das integrações no Bilhete Único. “Uma medida como essa prejudica quem mora mais longe. São pessoas que gastam cerca de 5h do seu dia para ir e voltar do trabalho todos os dias. Precisamos de políticas que melhorem a vida dessas pessoas, não o contrário”, reafirmou Giannazi, autor do Projeto de Decreto Legislativo (PDL) 15/2019 que anula as mudanças impostas pelo prefeito Bruno Covas, prejudicando diretamente mais de 1,2 milhão de paulistanos.

O estudo ainda avaliou a situação da mobilidade urbana na capital e revelou também que o aumento da passagem também pirou a vida dos paulistanos. De acordo com a pesquisa, a população mais afetada reside nas regiões Norte, Sul e Leste.

“Não há limites para a sanha de cortes e ataques de Bruno Covas. Além de confiscar as integrações e aumentar a passagem do transporte coletivo, o prefeito também cortou linhas de ônibus e reduziu o trajeto de diversas rotas, prejudicando de forma brutal os mais pobres. Nossa luta é para garantir o direito à cidade, à mobilidade e o respeito aos paulistanos”, afirma Giannazi.

Dados da São Paulo Transporte (SPTrans) revelam que o número de integrações dos usuários de ônibus caiu 8 milhões somente no mês de março, primeiro período em que as integrações no VT foram cortadas de três para uma.

Lembrando que cerca de 60% dos paulistanos levam até 2 horas por dia para se deslocar pela cidade com o objetivo de realizar a atividade principal, o trabalho.

Acompanhe o estudo completo aqui.