Projeto de Lei 467/2020 | Adia o retorno das aulas presenciais para fevereiro de 2021

Foto Reprodução: sintietfal.org.br
Foto Reprodução: sintietfal.org.br

Frente aos graves riscos par a vida da comunidade escolar com a volta às aulas em meio à pandemia, como determina o governador João Doria e o prefeito Bruno Covas, o vereador Celso Giannazi apresentou o Projeto de Lei 467/2020, que autoriza o Executivo a adiar a retomada das aulas presenciais do ano letivo de 2020 para fevereiro de 2021, ou até ser decretado o fim do estado de calamidade pública e o fim do decreto de situação de emergência no município de São Paulo em decorrência da pandemia causada pela COVID-19.

No dia 15/07/2020, foram confirmados 200.782 casos de contaminação pelo
coronavírus no Brasil, sendo que desses, 9.144 vieram a óbito, chegando a uma média de 1.067 diárias. O professor Titular da Escola
de Matemática Aplicada da FGV, Eduardo Massad, durante debate virtual pela Agência Fapesp e o Instituto Butantan, declarou que o Brasil teve até 15/07/2020, cerca de 300 crianças mortas por coronavírus e com a reabertura das escolas, esse número saltaria para mais de 17 mil.

Ao pensarmos no retorno às aulas presenciais, é necessário levar-se em conta que as crianças, são em sua maioria, assintomáticas. O que faz delas vetores dos vírus, pois ao contrai-lo e não desenvolver os sintomas, seus familiares ficam expostos ao contágio. Para conter o avanço da pandemia no Brasil e impedir a saturação do sistema de saúde é necessário estender a permanência dos alunos em suas residências até que haja uma vacina.