Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

No dia 31 de outubro, estudantes das Escolas Técnicas Estaduais (ETECs) e de Faculdades de Tecnologia do Estado de São Paulo (Fatecs) protestaram contra o sucateamento do ensino técnico público e a extinção de cursos de unidades pelo governo de João Doria (PSDB). 

Doria chegou a afirmar, em entrevista ao correio Braziliense em junho deste ano, que as ETECs e Fatecs são prioridades de seu governo. No entanto, ele é desmentido pelo seu próprio plano Plano Plurianual: João Doria quer cortar cerca de 20 mil vagas de formação técnica para jovens até 2023!

Contra o desmonte do Ensino Técnico pelo governo Doria e em defesa das ETECs e das Fatecs, o professor e deputado estadual Carlos Giannazi, membro titular da Comissão de Educação da Alesp, realizou uma audiência pública na Assembleia Legislativa de São Paulo.

“Não foi apresentada nenhuma proposta para a educação básica, para o ensino superior, para as Etecs e Fatecs ou para segurança pública, assistência social e cultura. Aliás, João Doria cortou recursos de muitas dessas áreas!”, criticou Carlos Giannazi. “Em São Paulo, a Educação sofre ataques das gestões municipal, estadual e federal. Não podemos deixar que a Educação das nossas crianças e jovens seja desmontada por esses desgovernos!”, complementou o vereador Celso Giannazi.

Entenda a oposição ao fechamento de cursos

Entre os cursos das ETECs que serão extintos estão o de Produção de Áudio e Vídeo, Museologia e Hospedagem. Esses três cursos, em específico, são de extrema importância: o de Produção de Áudio e Vídeo é único curso da área gratuito na capital paulista; o de Museologia é o único curso técnico da área existente no Brasil; e o de Hospedagem é exclusivo da unidade Santa Ifigênia.

Os protestos da comunidade escolar, além da oposição ao fechamento dos cursos, exigiram a abertura de novas vagas e a prorrogação da inscrição do Vestibulinho da ETEC. Além disso, a falta de funcionários e de reajuste salarial para os profissionais são problemas antigos das ETECs, e mais de 12 mil vagas de Ensino Técnico já foram cortadas em todo o Estado neste ano!  

Mesmo com ataques e com o sucateamento, Dados de 2017 do próprio governo estadual e do Centro Paula Souza, que administra as ETECs e Fatecs, revelam ótimos indicadores do Ensino Técnico público em São Paulo. As Etecs atendiam mais de 200 mil alunos, oferecendo as modalidades de Ensino Técnico, Médio, Técnico Integrado e Educação de Jovens e Adultos (EJA) e, segundo o Enem 2016, 41 das 60 melhores escolas públicas estaduais eram ETECs.

Veja também: O desmonte da inclusão escolar em SP

O desmonte da Educação como projeto de governo

Com informações de Rede Brasil Atual.