Jair Bolsonaro deixou mais uma vez evidente a submissão do governo e seu descaso com a Saúde pública e com a população brasileira. Ao vetar integralmente o PL 231/2012, que dispunha sobre a criação do Fundo Nacional de Pesquisas para Doenças Raras e Negligenciadas (FNPDRN), Bolsonaro alegou que a proposição “não contribuía, para o aumento do interesse do setor privado no tema”. 

Só que a própria classificação de uma doença como “rara” ou “negligenciada” se dá pela ausência do interesse da indústria farmacêutica no desenvolvimento de medicamentos específicos. Possível baixo retorno financeiro, pouco consumo, preço controlado e maior acometimento de população com baixa renda são motivos dessa falta de investimento privado.

Vereador Giannazi em defesa da Saúde de São Paulo

“Bolsonaro não só ignora completamente a função do governo em promover saúde para todas e todos como delega a responsabilidade à iniciativa privada. Quer deixar a grande parte da população refém de interesses alheios e se recusa a se portar como presidente!”, condenou o vereador Celso Giannazi, membro titular da Comissão de Saúde da Câmara.

A proposição ainda previa a reserva de ao menos 30% da verba do Programa de Fomento à Pesquisa da Saúde para o desenvolvimento de medicamentos e vacinas para as doenças raras e negligenciadas. O Congresso Nacional ainda pode derrubar esse veto absurdo de Jair Bolsonaro.

Veja também: Bolsonaro quer acabar com a sua Saúde

Com informações de Rede Brasil Atual.